sexta-feira, 6 de maio de 2011

Pudim



Não há nada que me deixe mais frustrada
do que pedir Pudim de sobremesa,

contar os minutos até ele chegar

e aí ver o garçom colocar na minha frente

um pedacinho minúscula do meu pudim preferido.

Uma só.

Quanto mais sofisticado o restaurante,
menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência,
comprar um pudim bem cremoso
e saborear em casa com direito a repetir quantas
vezes a gente quiser,
sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.

O PUDIM é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções,
de prazeres meia-boca,
de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.

Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.

Conquista a chamada liberdade sexual,
mas tem que fingir que é difícil
(a imensa maioria das mulheres
continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado,
mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta.

Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo,
mas tem medo de fazer papel ridículo.

Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD,
esparramada no sofá,
mas se obriga a ir malhar.
E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar',
tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...

Aí a vida vai ficando sem tempero,
politicamente correta
e existencialmente sem-graça,
enquanto a gente vai ficando melancolicamente
sem tesão...

Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.
Deixar de lado a régua,
o compasso,
a bússola,
a balança
e os 10 mandamentos.

Ser ridícula, inadequada, incoerente
e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.
Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou
e disse uma frase mais ou menos assim:
'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem,
podemos (devemos?) desejar
vários pedaços de pudim,
bombons de muitos sabores,
vários beijos bem dados,
a água batendo sem pressa no corpo,
o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga:
um pudim inteiro
um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order',
uma caixa de trufas bem macias
e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente.
OK?
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago . .

19 comentários:

  1. :) Eu perdi o juízo agora mesmo lol acabei de comer batatas fritas com laranja e que bem que soube!
    Por isso viva estas pequenas loucuras que vamos fazendo para dar gosto à vida!

    ResponderExcluir
  2. :)

    Só troco o Richard Gere pelo Antonio Banderas...de resto, faço minhas as suas palavras!!!

    Ótima sexta!

    Bjobjo

    ResponderExcluir
  3. Primeiro deixa eu parar de rir?
    Muito bom este teu texto.
    Tbm quero muitos pudins.
    Até vou fazer um hoje em tua homenagem!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Adorei....rs...o pudim eu não dispenso...
    Bom final de semana!!!!
    Beijo
    Helena

    ResponderExcluir
  5. Sandra,

    Que texto bom... Vivemos em meio a tantos contratempos, a tantas privações...

    Que tenhamos serenidade pra decidir, pra nos permitir... Porque a vida é breve.


    Um beijo!

    ResponderExcluir
  6. Nossa que visão esse pudim!
    Dá vontade de correr pra geladeira, mas então a gente lê o texto e o Richard Gere nos salva do súbito destino, após nos imaginar no lugar dele (ou com ele pra quem preferir) nua embrulhada para presente...que geladeira que nada.

    Obrigada por me seguir e pelo comentário gentil Sandra

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Sandrinha,
    Maraaaaavilhoso! Há muito tempo não lia algo com o qual não me identificasse totalmente. Todas as analogias são verdadeiras e sinto tudinho o que foi registrado nesse post. Hoje vc se superou com essa escolha do texto!
    Beijocas e uma linda sexta-feira pra você, com direito a um pudim inteiro e a um pedacinho só do Richard Gere...o resto dele deixa pra mim que eu me encarrego. Aff...

    ResponderExcluir
  8. kkkkkkkkkk...
    Texto MARAVILHOSO!!
    kkkkk...Amei o último paragrafo,risos!!!

    Tenha um Lindo Fim de Semana!!!
    Paz e Luz!!!

    ResponderExcluir
  9. Sandra, amei esse "pudim". Somos exatamente assim, vivemso controlando tudo, muitas vezes até as palavras. Isso não pode, isso não deve, só um pouco, de jeito nenhum... com certeza tem dias que dá vontade de chutar o pau da barraca.
    Nossa e pudim eu adoroooooooo. Essa sua postagem é bacana demais. Seu blog é ótimo Parabéns.
    Aproveito pra agradecer a visita, por ser seguidora e esteja sempre por lá, farei o mesmo. Estou te seguindo também.
    Tenhas uma tarde de alegrias.

    ResponderExcluir
  10. Adorei! Só que eu quero um sorvete crocante, o amado embrulhado para presente e alguns filmes europeus... rs
    Texto libertador viu?
    Xero!

    ResponderExcluir
  11. Sandrinha. Vim lhe agradecer o seu voto, principalmente porque veio de forma espontânea e natural. Muito obrigada pela amizade. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. É amiga, rasguem os manuais, as dietas impossíveis, e assim pode ser que ainda dê tempo de ser feliz nao é?! A vida anda muito sem sabor...

    Um grande beijo de dia das maes pra você!

    ResponderExcluir
  13. Ah, e eu conhecia a versao desse texto já, com autoria de Danusa Leao, só que era sorvete e nao pudim, mas dá (quase) tudo na mesma!

    ResponderExcluir
  14. Eheheh, eu concordo plenamente! E pode vir para aqui o mesmo, não necessáriamente por essa ordem, mas é tudo o que me apetecia agora! Hummm e um bom banho de espuma....

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Oi Sandra,
    fantástico esse post. Te vi em uma reunião de equie fazendo a intrpdução com essa co-relação. Como você faz isso bem!

    Aproveito para desejar um Dia das Mães muito especial, cercado de carinhos e beijinhos das filhas e enteados.

    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Oi, Sandra! Maravilho este texto. É, minha amiga, às vezes temos que nos permitir algumas saidas dos trilhos e ser feliz. Que belo pudim!Fiquei com agua na boca.
    Bjs.
    Zelia

    ResponderExcluir
  17. Deixei um selo para ti no meu cantinho, que representa o que o teu blog significa para mim. Espero que gostes.

    Beijinhos

    P.S. Realmente com esse aspecto... até dá vontade de comer.

    ResponderExcluir
  18. Na maioria das vezes devemos nos deixar levar pelo"O proibido é que seduz", caso contrário a vida seria tão sem graça. O que seria de nós se a vida fosse feita só de "meia-porções? Adorei o texto. Um abraço.

    ResponderExcluir
  19. Recebi pelo Twitter da Luz de Luma: "Garçom, por faor, me traga um pudim inteiro embrulhado para presente!"

    ResponderExcluir