sábado, 7 de maio de 2011

A mãe que sou


Fui mãe aos 33 anos de idade e aos 6 anos de casamento.

Fui mãe de novo aos 40 anos.

Mas já era "mãe", antes de ter parido, pois fui "boadastra" ou "madrasta" (dependendo do ponto de vista), de 3 maravilhosos enteados.

Casar já tendo enteados, pode ser visto de alguns vários aspectos:

-Começar um relacionamento com responsabilidades de cuidar "filhos" que não são seus;

-Ter responsabilidades e privações(de horário, de compromissos, de vida própria inerentes à uma mãe) por esses "filhos", que não são seus;

-Cuidar e contribuir na educação desses "filhos", que não são seus;

-Amar, e amar imensamente, esses “filhos”, que não são seus;

-Sofrer por que, por tudo acima citado, e por mais que você se dedique, ame, cuide, no final você não é "a mãe" dos seus enteados e eles não são seus "filhos";

Compartilhei momentos incríveis com meus três enteados, desde que eles eram bem pequenos – 3, 5 e 6 anos.

Hoje eles têm 30, 32 e 33 anos.

A primeira febre que cuidei, o primeiro dente de caiu, a fada dentinho, o primeiro dente que quebrou, a chegada do Papai Noel, o tombo na piscina, as pegadinhas do Coelhinho da Páscoa, a queda da escada, as lágrimas ao assistir a Estrelinha do Presépio da Festa de Natal da Escola, as apresentações de Karatê, jiu-jitsu, balé, jazz, de volei, de natação, de bicicross, de motocross, os pontos na testa, os prêmios e medalhas nos campeonatos, o braço quebrado, a choradeira nas cerimônias de primeira-comunhão, os 15 anos, os vestibulares, a responsabilidade dos 18 anos, a entrega da chave de casa, o primeiro carro, a emoção de cada uma das formaturas, a alegria do noivado(o primeiro deles) e da inesquecível preparação e vivência do primeiro casamento da nova geração da família (o primeiro de 5, espero eu que sejam apenas 5 casamentos nessa geração!)!!!

Nunca fui “Mãe Mochileira”, mas já viajei muito com meus enteados, para locais incríveis e, essas experiências de convivência, como "boadastra", eu compartilharei em outra postagem no futuro.

Também vivo na estrada com minhas filhas! Muitas emoções, muitas alegrias, muitas histórias para contar!

Com todos juntos, só de VAN, hahahaah!!!

Família grande é uma farra nessas horas!

Sempre fui muito responsável com as questões escolares, sejam dos meus enteados, quanto de minhas filhas.

Já tirei férias em dezembro para estudar para prova final de Matemática de um dos meus enteados, e estudávamos quase 7 hs por dia nas 3 semanas que antecediam às provas finais.

Já viajei 4 hs para assistir uma belíssima apresentação de balé da minha enteada e depois retornar na mesma noite, outras 4hs de viagem, para trabalhar no dia seguinte, de manhã cedo, pelo prazer de acompanhar aquele momento tão importante da vida dela!

Quando engravidei da minha primeira filha, meus enteados choraram muito, e o choro não era de ciúmes do pai, mas sim de mim, que segundo eles “eu agora teria minha própria filha e não ligaria mais prá eles”. E isso não ocorreu!

Minhas filhas já tiveram crises de ciúmes dos meus enteados, dizendo que há momentos em que preparo a casa toda, faço(peço para fazer) o prato predileto dos meus enteados, etc, só para agradá-los!!!srrssrsr.

Ou seja, ciúmes em via de mão-dupla!

E hoje olho para trás e vejo essa belíssima grande família unida, amiga, em harmonia, todos os irmãos, sem distinção, próximos e num amor inigualável!

Minha filha menor parece tanto com a minha enteada, que se passam por mãe e filha, ao invés de irmãs!

Minha filha mais velha tem pelos irmãos um carinho enorme!

Meus enteados têm por minhas filhas uma paixão incrível, acompanhando todos os momentos importantes da vida delas!

Tomam conta da altura da barra da saia, ensinaram a andar de bicicleta, deram aulas de direção, acompanham em shows, levam prá parques e cinemas!

E nisso tudo, eu me vejo como mãe e boadrasta realizada, pois conseguimos todos juntos superar diversas dificuldades e moldar uma família plena!

São todos saudáveis, lindos, educados, estudiosos, gentis, responsáveis, seguiram o caminho do bem!

Agradeço a cada um deles, que cada um a sua maneira, me ensinou a ser mãe de verdade e “step-mother” em exercício!

Tive as minhas falhas, errei nesse caminhar, tenho as minhas culpas pelo tempo que não tive em função da vida profissional, mas procurei equilibrar a minha vida, fiz opções de carreira em prol da família, em todos os momentos necessários, e busquei qualidade de vida familiar.

Agradeço às mulheres fortes da minha família que foram e são os meus exemplos - minha muito querida mãezinha, minhas muito amadas avós, minhas tias, minha irmã guerreira, minha sogra querida, minhas cunhadinhas e minha linda sobrinha Tissa (que já é uma super mãe), por terem me prestado todo suporte e orientação para chegar a ser a mãe que sou!

E como diz Roberto Carlos:

-Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi!!!

17 comentários:

  1. Que lindo Sandra!
    É difícil achar uma boadrasta (com certeza foi)com tanto carinho com os enteados como você.

    Feliz dia das mães!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Sandra eu sou manteiga derretida, me emocionei lendo seu depoimento. Muito lindo. Parabéns pela mulher guerreira que és. Deus sabe o que faz e quando ele colocou essas crianças na sua vida, ele com certeza sabia que era você a mulher/mãe certa.
    Eu tenho 2 e as vezes tenho medo, medo de não está fazendo a coisa certa, educação certa, tantos medos...
    Mas temos que ter fé, fé na vida, fé no que virá...

    Tenha um dia feliz.

    ResponderExcluir
  3. Mãe é quem ama, educa, cuida, protege, reclama, ralha...

    Amor de mãe vem sempre do coração, e não necessariamente do ventre, mas sim, e principalmente do coração...

    Parabéns à VC!

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga,

    Não tenho como descrever o que senti ao ler toda a sua expressão de Mãe, fiquei muito emocionada.
    Me lembrei da chegada da caçulinha, momento que pude compartilhar, que alegria!
    Parabéns pela Mãe e Mulher adimirável que você é.
    Que Deus a abençoe por cada gesto de amor, carinho, por cada ensinamento, pela sua contribuição para o meu cresimento humano, espiritual e profissional.
    Um lindo dia das Mães para você e sua família. Um grande beijo. Erica

    ResponderExcluir
  5. Sandra,
    Me emocionei ao conhecer a sua trajetória de mãe e "boadastra". Tenho uma enteada que me chama assim.
    Você é uma grande mulher! Parabéns!
    Que você tenha um dia das mães maravilhoso com essa família que teve a benção e o privilégio de tê-la em suas vidas.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Sandra,
    também fui "boadrasta" de dois e mãe de duas meninas. Amei seu post.
    Feliz Dia das Mães!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  7. Que lindo Sandra!.. Acredito que não haja sentimento melhor do que olhar o caminho percorrido e ver todas as conquistas alcançadas!.. Parabéns!

    Uma beijoca em seu coração...
    Verinha

    ResponderExcluir
  8. Não estou sumida, venho aqui quase todos os dias ler os seus textos, que tanto adoro. Adorei conhecer mais um pouco da sua vida, ou seja, da sua trajetória de "boadrastra", imagino como foram seus dias cuidando de tantas cabeçinhas. Feliz dias das mães. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Depois disso tudo, só posso dizer: Feliz dia das MÃES!!!

    Beijão

    ResponderExcluir
  10. Oi Sandra, boa noite
    Que história de vida maravilhosa, muito emocionante. Você foi de uma coragem e desprendimento admiráveis.
    Você mais do que qualquer outra merece este dia especial dedicado às mães.
    Parabéns por tanta abnegação.
    Bjo

    ResponderExcluir
  11. Que lindo...adorei seu depoimento...
    Bom final de semana e feliz dia das mães para a mamães de plantão!!!!
    Beijo
    Helena

    ResponderExcluir
  12. Construíste uma família lindíssima! És um exemplo a seguir, amiga.

    Cá em Portugal o dia das mães foi no Domingo passado. É sempre uma data especial. Este ano passei mesmo só com a Letícia, pois o papá esteve no estrangeiro na altura. Mas foi um dia super-especial.

    Aproveita, tu também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Puxa, que bonito! Eu sempre sonhei ter uma família grandoooona assim como a sua.
    Antes de tudo, eu diria, você foi corajosa em "adotar" enteados, porque é osso, uma responsabilidade redobrada. Possivelmente com os seus próprios filhos sua postura seja diferenciada porque deva ter mais "campo" por assim dizer, de educar à sua maneira. Mas no tocante à gostar creio seja igual, e de maneira muito especial. Fosse diferente, nao teríamos alguns amigos melhores que irmaos, porque pudemos escolhê-los pela vibração que o coração pulsa por eles, e nao pelo sangue da hereditariedade.

    Aceite meu abraco forte nesse dia, por acaso o seu dia,

    Beijao!

    ResponderExcluir
  14. Isso é que é ser mãe! Uma grande mãe e uma muito boadrasta!
    Parabéns

    ResponderExcluir
  15. Sandra eu também sou Boadrasta de duas lindas meninas e mãe de uma linda menina e de um lindo menino.

    Eu também já tive muitas emoções com as minhas enteadas. Eu sinto falta delas quando não estão. Eu preocupo-me com os estudos delas quando me preocupo com a minha filha.

    Amo ser mãe. É maravilhoso. É indescritível os momentos bons que já passamos todos juntos.

    Apesar da agitação, amo quando estamos todos juntos e sinto falta!

    Sempre quis ter uma família grande pois sou filha única e muitas vezes senti-me sozinha.

    Consegui!

    Beijos
    Boa semana

    ResponderExcluir
  16. Simplesmente maravilhosa esta passagem da tua vida que partilhaste com a blogosfera! O meu desejo, é que as Boadrastas o sejam cada vez mais, e tenham o retorno que merecem!
    Com muita tristeza minha, o meu Principe não teve direito a uma Boadrasta e receio muito, que quando chegar a hora de ela ser mãe, se agrave ainda mais a postura da MADRASTA!
    Quem sabe o meu filho não terá como uma das suas missões, convertê-la numa Boadrasta...

    ResponderExcluir
  17. Sandra, acabei de ler esta postagem. Que linda! Linda, linda, linda! Gente... Será você um anjo de luz nesta Terra? Não consigo qualificar de outra forma. Um abraço carinhoso, Paula

    ResponderExcluir